Molho branco francês

Molho branco supimpa para o macarrão, arroz e o que mais você quiser, fácil, fácil:

Molho branco francês radarmundial.com

A primeira coisa é você preparar os ingredientes, então vamos lá:

  1. Cebola branca, não use a rocha, senão o molho vai ficar escuro. Descasque e corte no menor tamanho que você conseguir. De tal forma, que até os chatos que não gostam da cebola, não consigam detectá-la. Use uma cebola média e que não esteja murcha. Corte-a e deixe num prato, próximo ao fogão.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  2. Você vai precisar de uma colher de sopa com margarina. Não use manteiga. Seja generoso na quantidade. Colher bem cheia. Deixe também já na colher e próximo do seu fogão. Próximo a cebola já picada.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  3. Abra bem, uma caixinha de creme de leite. Use uma marca boa, não use creme de leite já aberto ou que esteja com bordas amareladas. Deixe-a também já aberta, perto dos outros ingredientes, que já preparamos.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  4. Meça 450 ml de leite integral sem nata. Tente ser mais PRECISO possível nesta medida, para o molho não ficar aguado, nem duro. A consistência certa é um dos segredos deste molho. Siga a receita com precisão, que vai dar certinho. Deixe o leite também próximo aos demais ingredientes anteriores.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  5. Encha uma colher de sopa com amido de milho (maisena), não exagere, se não vira mingau. Deixe pertinho dos demais ingredientes.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  6. Rale uma xícara de queijo, não precisa ralar fino, irá derreter quando formos acrescentá-lo ao molho, só não pode ser em pedaços. Caso contrário, irá amarelar até que derreta. Não  use parmesão, por mais que você goste, se insistir irá estragar o molho, que não será mais francês e sim algo como “greguês” e não vai ficar bom. Um queijo minas padrão, branco mais firme já é o bastante. Coloque tudo isto perto do fogão, munto com demais ingredientes.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  7. Encha meia colher de sopa com pimenta do reino em pó. Se não tiver pimenta em pó, use a de ralar mesmo, mas diminua a quantidade e pingue 4 gotas de limão galego, para equilibrar a acidez.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  8. Corte meia xícara com salsa e cebolinha verde,e deixe separado também.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  9. Para finalizar o preparo dos ingredientes, separe uma colher de sobremesa com sal. Agora tudo junto, todos os ingredientes prontinhos.radarmundial.com Molho em Branco Francês

Preparando tudo: E agora o que fazer?

  1. Numa panela média e fogo médio, coloque a margarina e mexa até derreter.radarmundial.com Molho em Branco Francês
  2. Antes que comece a amarelar, coloque a cebola, a pimenta do reino e o sal. E continue a mexer sem parar até que a cebola fique bem aquecida e clara, tipo transparente. Mas não deixe que queime ou amarele. Não pare de mexer lentamente.
  3. Despeje o creme de leite na panela e mexa lentamente para tornar o mais uniforme possível.
  4.  Dissolva o amido de milho (maisena) no leite. Mexa bastante até dissolver bem o amido de milho, no leite e não ficar borras de amidos em cima, no fundo e laterais. A maisena irá dar consistência ao molho.
  5. Coloque o leite com a maisena na panela, mexa lentamente e deixe ferver por até engrossar e deixar de ficar ralo. Não irá endurecer muito, irá apenas uniformizar com tudo que está na panela até agora.
  6. Assim que estiver bem aquecido e o molho uniforme, coloque o queijo e mexa até que todo o queijo esteja bem derretido. O ponto certo é quando o molho não tem partes menos ou mais densas, fica igual. Com apenas algumas poucas partes no fundo mais consistente.
  7. Quase Pronto! Despeje em cima do seu macarrão cozido (10 a 13 minutos), misture bem e espalhe salsa e cebolinha verde por cima para dar cor ao prato. Lembre-se: beleza inspira felicidade e dá apetite.
  8. Sirva quente. Não vai sobrar nada!

radarmundial.com Molho em Branco Francês

Se tiver bacon e a turma gostar, corte pequenos pedacinhos, bem miúdos mesmo, frite por 3 a 5 minutos no óleo quente e acrescente também no macarrão, fica muito gostoso e sacia os famintos por carnes.

Tente ai e fale conosco como ficou. Se você gostou e foi lhe útil, curte, compartilhe e se inscreva em nosso site. Isto nos ajuda muito!

Abraços da equipe Radar Mundial, loucos por viagem, férias, comida boa, gente alegre, sorrisos e Jesus Cristo.

Veja também nosso post do Bolinho de Bacalhau, uma coisa de louco!

Booking.com

Cascavel Paraná: Beleza inspira felicidade!

Beleza inspira felicidade

Cascavel é assim: Como  frases que captamos no ar no meio de alguma conversa, as vezes nem direcionada a nós e ou conosco, mas que ficam registradas para sempre. É como se tivéssemos pressionado o ‘record’ do gravador naquele momento e eternizado uma cena.

E uma das frases que guardo na mente, foi quando ouvi um artista famoso numa entrevista na TV, dizer que

“a beleza de uma praia é como a beleza das mulheres; não se compara!”.

Estes tipos de belezas não são para comparar e sim para admirar mesmo e só! Não existe parâmetros de comparações, pois, até as inexpressões e inadequações compõem o conjunto da beleza que Deus nos proporciona.

E para completar o que vi e me encantei com Cascavel no Paraná, tomo emprestado uma outra frase, que é uma das minhas preferidas no dia-a-dia; nunca  a esqueço: eu a  ouvi de um paraninfo numa formatura de direito na Universidade da Cidade de Itaúna-MG, uma outra cidade maravilhosa de Minas Gerais, que terá um post só dela, aqui no Radar Mundial

“beleza inspira felicidade”

E inspira de fato! Se você chega num lugar com vista agradável e gera tranquilidade visual, sua disposição em agir naquele lugar é energizada  e gosto de estar ali, faz com que o sucesso do seu propósito seja mais alcançável e sem peso. É como se aquilo que lhe inspira felicidade, lhe abraçasse dizendo

‘oh tenho dificuldades, mas o que tenho está a sua disposição e me alegro por estar aqui’.

Assim foi a primeira vez que estive em Cascavel no Paraná, por apenas três dias: uma cidade que inspira felicidade, com belezas únicas, um povo acolhedor, um clima agradável e um lugar de muitas oportunidades.

Na semana anterior, eu tinha voltado do Estados Unidos  e vi em Cascavel, alguns traços do modelo de lojas daqueles centros comerciais que a gente encontra por lá, como estas lojas paralelas e jardins e cuidado com o derredor.

É evidente que estando no Brasil, os problemas da cidade são inerentes à cultura e dos problemas nacionais que temos por aqui. Não os ignorei, nem desconsiderei os bairros menos favorecidos, mas vi algumas coisas que temos em poucas cidades brasileiras: há uma apresentável preocupação com o coletivo e a busca para melhorar, a despeito de ser possível ou não.

As ruas são limpas e bonitas. Uma cidade planejada, sinalizada e com vias largas na região central.

Hotel

O hotel Copas Verdes (Copas Executive Hotel), que fica bem no centro e de fácil deslocamento. Você indo lá, comente para gente o que achou deste hotel. Tem café da manhã, serviço padrão e preço proporcional, também.

A rede hoteleira é boa, com no mínimo as seguintes opções:




Booking.com

Comer em Cascavel

Já era 23 horas, quando resolvi com os amigos comer uma pizza. E tive a felicidade de ir na Ronda Pizzaria. Um atendimento VIP, uma pizza muito gostosa, com sorrisos e um cardápio variado, com preço que também, acreditei ser proporcional ao serviço.

Almocei na Casa da Laura, um restaurante self-service, que fica no centro.

Bom tempero, bom atendimento, bem localizado, espaçoso, proporcionalmente harmônico e com preço bom. Nem mais nem menos: o suficiente.

 

Para você ir lá

Cascavel é uma cidade jovem, planejada com uma população de mais de 300 mil habitantes. Tem uma economia pujante e muito fomentada pela agricultura, com foco na soja. Não é atoa que dizemos que o Paraná, é o seleiro do Brasil.

Muito próxima do Paraguay,  140 km, separe um dia para dar um ‘pulinho’ lá, ver os  ‘hermanos’ e fazer umas comprinhas. O limite também lá, é de US$ 500 doláres para cada pessoa.

De fato um bom programa, conhecer Foz do Iguaçu, a Ponte da Amizade e por o ‘pezinho’ para fora do Brasil.

Lembrando que para entrar no Paraguai, basta a carteira de Identidade, não é necessário o passaporte ou visto. Veja nosso posto sobre os países que você brasileiro, pode viajar sem passaporte e visto.

Eu estive na divisa a trabalho,  na aduaneira da balsa de travessia de caminhões. E mesmo lá a bacia do Rio Paraná, Itaipu já é muito bonita e expressa sua imensidão de águas:


CASCAVEL HOJE

HISTÓRIA

Os índios caingangues habitavam esta região, que teve a ocupação iniciada pelos espanhóis em 1557, quando fundaram a Ciudad del Guairá, atual Guaíra.

Uma nova ocupação teve início a partir de 1730, com o tropeirismo, mas o povoamento da área do atual município começou efetivamente no final da década de 1910, por colonos caboclos e descendentes de imigrantes eslavos, no auge do ciclo da erva-mate.

A vila começou a tomar formas em 28 de março de 1928, quando José Silvério de Oliveira, o Nhô Jeca, arrendou as terras do colono Antônio José Elias nas quais se encontrava a Encruzilhada dos Gomes, localizada no entroncamento de várias trilhas abertas por ervateiros, tropeiros e militares, onde montou seu armazém. Seu espírito empreendedor foi fundamental para a chegada de novas pessoas, que traziam idéias e investimentos.

Na década de 1930, com o ciclo da erva-mate já extinto, iniciou-se o ciclo da madeira, que atraiu grande número de famílias de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e, em especial, colonos poloneses, alemães e italianos, que juntos formaram a base populacional da cidade.

Em 1934, foi criado o distrito policial de Cascavel. Posteriormente, instalou-se o distrito judiciário e o distrito administrativo, todos integrantes do município de Foz do Iguaçu.

Na medida em que as áreas de mata nativa eram esgotadas, a extração madeireira cedia lugar ao setor agropecuário, base econômica do município até os dias atuais.

A vila foi oficializada pela prefeitura de Foz do Iguaçu em 1936, já com a denominação de Cascavel. Entretanto, o prelado daquela cidade, monsenhor Guilherme Maria Thiletzek, rebatizou-a como Aparecida dos Portos, nome que não vingou entre a população.

Em 20 de outubro de 1938, já com a denominação definitiva de Cascavel, a localidade foi alçada à condição de sede de distrito administrativo, nos termos da Lei n.° 7.573.

A emancipação finalmente ocorreu em 14 de dezembro de 1952, juntamente com a cidade vizinha Toledo, mas por muito tempo a comemoração se deu no dia 14 de novembro de cada ano, devido a uma confusão entre a proposta do governador do estado da época, e a efetiva assinatura da lei.

Em 20 de dezembro de 2010 foi sancionada a Lei nº 5689/2010 que define a data de 14 de novembro de cada ano, como data oficial do aniversário da Cidade de Cascavel, comemorando a data de sua criação e não de sua emancipação. 

Encerrado o ciclo da madeira, no final da década de 1970, Cascavel iniciou a fase de industrialização da cidade, concomitantemente com o aumento da atividade agropecuária, notadamente soja e milho.

Cascavel possui uma topografia privilegiada, fato que facilitou seu desenvolvimento e permitiu a construção de ruas e avenidas largas e bairros bem distribuídos.

Hoje, Cascavel é conhecida como a Capital do Oeste Paranaense, por ser o pólo econômico da região e um dos maiores municípios do Paraná.

Fonte: Portal do Município de Cascavel

 

 


Booking.com

O maior Mcdonald´s do Mundo

É mesmo grande e moderno!

Localizado na International Drive com a Sand Lake Road em Orlando na Flórida, Estados Unidos; o maior McDonald´s do mundo é muito bem feito, espaçoso, estacionamento tranquilo, excelente localização e bem moderno.

Desde 1976 em Orlando, o espaço já nasceu uma atração turística e recentemente foi reformado e renovado. São mais de 1.100 M2 feitos para encantar e alimentar os visitantes. E achar brasileiros lá é certo e seguro, vai ter!

O atendimento é automatizado, onde dá para gente selecionar os ingredientes de cada sanduíche, resolvendo aqueles mimos da criançada, que não quer com cebola, quer duplo, triplo, com ou sem hambúrguer, com ou sem picles, batata pequena, media, grande; qual refrigerante, qual o tamanho, etc.

Após você fazer o pedido, recebe um número que é o caixa que você vai pagar, as filas são pequenas ou nem existem.

Feito o pagamento, que é preço padrão McDonald´s de qualquer lugar do mundo, você já pode ir para sua mesa, que pode ser no primeiro ou segundo andar.

E logo depois, seu pedido é entregue na sua mesa por um garçom.

Do segundo andar dá para ver a International Drive e a Sand Lake com seu intenso, mas bonito movimento de Orlando. As cores são vivas e dá para sentir que realmente você está nos Estados Unidos.

Se for com crianças, sente-se no segundo andar, onde tem playground bem grande para as crianças.

O legal do playground é a ‘multiculturalidade’ de línguas, onde tem crianças de várias partes do mundo falando cada uma sua língua, gerando um som de “torre de babel” onde os adultos não entendem nada, mas eles pareceram estar se comunicando em uma língua comum e muito conhecida a eles. E é mesmo: á inocência, os gestos, os olhares e a falta de maldade dos pequeninos. É encantador, reserve uns 10 minutos para ficar perto e observar.

Há no primeiro andar, um aquário muito bonito que chama atenção pelos peixes que parecem se comunicar com os visitantes:

O estacionamento é amplo, com vagas para prioridades como PNE (portadores de necessidades especiais) e idosos. E lá realmente a lei funciona, se atreva a parar numa destas vagas e há chances de você ser convidado a deixar o país e não será bem vindo nunca mais! Isto é que nos faz ter vontade de mudar para lá: lá a lei para ser cumprida mesmo!

O acesso é tanto pela International Drive, quanto pela Sand Lake. Mas se errar a entrada, não se preocupe, o retorno é perto, use o GPS e volta num minutinho. Mas lembre-se novamente, não dê “aquele” nó cego de virar na rua mesmo, como muitos fazem no Brasil. Se fizer vai estragar sua viagem!

Não deixe de visitar, ao menos para dizer que foi lá. Mas com certeza você vai gostar, as crianças vão demorar por lá, reserve no mínimo 2 horas para esta atividade. Mas se der agende umas 4 horas para não fazer correndo e você parar para prestar atenção na realidade americana.

Booking.com