Como obter o visto de trabalho nos Estados Unidos? Visto EB1, EB2, EB3 e EB4

Visto de trabalho nos Estados Unidos. O que é o visto de trabalho nos Estados Unidos?

Como obter  o visto de trabalho nos Estados Unidos?

Quais o requisitos para obter o Visto de Trabalho nos Estados Unidos?

Um visto de trabalho ou visto EB1, visto EB2, visto EB3 ou visto EB4 é o visto para os Estados Unidos para aqueles que desejam morar e trabalhar permanentemente por lá.

Veja este vídeo e saiba quais os requisitos e como obter o visto de trabalho

Estes são os vistos Americanos que apresentamos neste vídeo:

EB1 – VISTO PARA PESSOAS COM HABILIDADES EXTRAORDINÁRIAS
EB2 – VISTO PARA PESSOAS COM HABILIDADES EXCELENTES
EB3 – VISTO PARA TRABALHADOR QUALIFICADO
EB4 – VISTO PARA MINISTROS RELIGIOSOS
EB5 – VISTO DO INVESTIDOR NOS EUA | BASTA TER MEIO MILHÃO DE DÓLARES

Você pode também encontrar mais informações sobre todos estes vistos no site oficial do Governo dos Estados Unidos: https://www.uscis.gov

Acompanhe-nos e saiba tudo isto e muito mais, nos vídeos desta série, com o Dr. Victor Aisenberg, em nosso canal.

Visto K1 O Visto dos noivos

Como obter o Visto K1, O Visto de noiva(o) dos EUA?

Está com parentes, amigos ou mesmo você, que está pretendo imigrar para os Estados Unidos se casando com um Americana(o)?

Então, não deixe de ver este vídeo:

Veja também os vídeos anteriores desta série, IMIGRANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS DA FORMA CORRETA:

 

Visto Americano EB5, o visto de Investidor. O que mudou?

Visto para os Estados Unidos, Visto EB5, o que mudou?

Em março, houve a proposta de aumentar o valor do investimento de meio milhão de dólares para um valor muito maior, mas não foi aprovada. Ainda não houve mudanças no visto EB5, mas poderá ocorrer a partir de setembro deste ano.

Direitos Autorais: Este vídeo inclui fotografia do Open House Event: Por elisfkc from Orlando, FL, United States – Open House Event, CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=56609416

 

Conheça todos os passos para se obter o Visto Americano EB5:

Visto EB5 - Visto do investidor nos Estados Unidos

  • Qual o valor preciso investir para obter um visto EB5?
  • Quanto preciso para viver nos Estados Unidos?
  • Houve mudanças nos valores do investimento do visto EB5?
  • Como obter o visto de investidor nos Estados Unidos?
  • Como obter o EB5?
  • Quanto custa um visto EB5?

Dr.Victor Aisenberg, mestre em Direito no Brasil e também Mestre em Direito pela Universidade de Syracuse do Estado de New York nos Estados Unidos; Professor Universitário no Curso e Direito, fluente em Inglês, Espanhol e Hebraico; neste vídeo; responde e explica de forma simples e de fácil compreensão como nos outros vídeos que você já assistiu, os detalhes de todo o processo, documentação e procedimentos necessários para você obter o seu visto EB5, o visto de investidor, obter o Green Card e a residência permanente nos Estados Unidos.

Dr. Victor também nos fala sobre os CENTROS REGIONAIS, que são responsáveis pela ligação entre o investidor estrangeiro e as empresas que aplicão nos negócios que necessitam de financiamentos nos Estados Unidos; sobre o prazo de trâmite do Visto EB5 que é de 14 a 16 meses após a “aplicação”.

No segundo vídeo falamos sobre como os Estados Unidos nos tratam na legislação com o termo “ALIEN”. E neste vídeo, com o Visto EB5, você poderá obter a cidadania Americana, deixando então, de ser um ser alienígena perante a lei Americana. Obtendo então o O GREEN CARD, que é o documento que reconhece você, como residente permanente no EUA.

Um detalhe que o Dr. Victor nos explica também, é que:

O Green Card não é mais verde!

Dr. Victor também nos ensina que atualmente, para se obter o Visto EB5, que é o visto de investidor nos EUA, incluindo as despesas de advogados e demais taxas, o investimento total está em torno de US$ 600,000.00.

E que você precisará ter também, uma renda para viver nos EUA, além do investimento, para se manter nos EUA, pois, os 500 mil dólares não estarão disponíveis. Que gira em aproximadamente entre 4 e 5 mil dólares por mês, dependendo do padrão de vida e do lugar que você quererá ter.

Você pode também encontrar mais informações sobre o Visto EB5 no site oficial do Governo dos Estados Unidos: https://www.uscis.gov

Acompanhe-nos e saiba tudo isto e muito mais, neste e nos próximos vídeos desta série, com o Dr. Victor Aisenberg, em nosso canal.

Patrocínadores:

  1. Vilesoft Software de Gestão Empresarial
    vilesoft.com 0800 012 5000
  2. Canal Talentos & Desafios

 

Dr. Victor Aisenberg, advogado especialista em imigração

(37) 99902-5424

[email protected]

Facebook

Veja os outros vídeos anteriores desta série IMIGRANDO PARA OS ESTADOS UNIDOS DA FORMA CORRETA

Imigrando para os Estados Unidos da forma correta – #1 Visto de Estudante

Visto Americano, tipos de vistos: Imigrando para os Estados Unidos da forma correta #2

 

Imigrando para os Estados Unidos #2- Tipos de Vistos

Conheça os tipos de vistos Americanos que existem e qual o mais indicado para sua realidade.

Dr.Victor Aisenberg, mestre em Direito no Brasil e também Mestre em Direito pela Universidade de Syracuse do Estado de New York nos Estados Unidos; fluente em Inglês, Espanhol e Hebraico, está conosco novamente neste vídeo; explicando de forma simples e de fácil compreensão, os detalhes de todo o processo, documentação e procedimentos necessários para você obter o seu visto de turista, estudante, empreendedor e de residência nos Estados Unidos, da forma correta.

Não deixe de ver também o primeiro vídeo desta série:

 

Indo para o Estados Unidos da forma correta – #1 Visto de Estudante

Está pensando em mudar para os Estados Unidos?

Não deixe de ver este vídeo, que é o primeiro de uma série do Canal Talentos & Desafios feitos sobre Imigração para os Estados Unidos, feitos com o Dr.Victor Aisenberg, mestre em Direito no Brasil e Mestre em Direito pela University Syracuse do Estado de New York nos Estados Unidos..

Ele fala fuentemente em Inglês, Espanhol e Hebraico e dá detalhes de todo o processo, documentação e procedimentos para você obter o visto de turista, estudante, empreendedor e de residência nos Estados Unidos.

São itens que valem a pena aprender, e que são de suma importância no planejamento da sua viagem. Os assuntos abortados são das questões de tipos de vistos, como obtê-los e suas aplicações.

Passaporte: providencie, veja nosso post sobre este assunto

Vai de férias para o exterior? Viagem Internacional? Já fez seu seguro de viagem?

Aqui no Radar Mundial,  somos apaixonados por viagens e pesquisadores constante sobre turismo!

Queremos comemorar com você a chegada do primeiro feriado de 2018 com boas notícias. Afinal é o feriado mais longo do ano! 😀

Uma viagem cai bem nessa época, não é?! Já pensou no que vai fazer?

Se precisar de ajuda e indicações de destinos, o Radar Mundial têm várias matérias para te inspirar. Mas a notícia boa mesmo, que queremos te lembrar é sobre a parceria que o Radar Mundial tem com o Seguro Viagem Allianz, um item indispensável para todas as viagens, no Brasil ou exterior.

Essa parceria oferece descontos especiais para você que acompanha as nossas histórias e dicas de viagens.

Nossa equipe já viajou com o Seguro Viagem Allianz. Que delícia! Viagem boa e sem preocupações, isso porque eu sabia que estava nas mãos de uma empresa de tradição pronta para me ajudar.

Está aí uma coisa boa desse Seguro, eles oferecem atendimento por telefone, 24h e em português. São mais de 25 coberturas, desde extravio de bagagem, atendimento médico, até cancelamento de viagem. #FicaDica

Se você ainda não conhece o Seguro Viagem Allianz, entre no site e veja os planos.

Está rolando um ótimo desconto na contratação do seguro para todos os destinos: 30% OFF no Seguro Viagem Allianz! Mas aproveite, é só até dia 28/01 ein?

E aí, gostou dessa notícia? 🙂

Até a próxima,

Radar Mundial

10 Dicas para fazer compras em Orlando – Disney

É claro que ‘ninguém’ vai a Orlando só para fazer compras (ou quase ninguém). Mas é certo que você vai fazer compras e gastar seus dólares por lá.

Então, separamos 10 dicas valiosas do que aprendemos na prática, fazendo compras em Orlando

Dica 1 – Saiba a distância entre seu hotel e os outlets onde você fará suas compras

Como são muitos outlets e onde comprar, não deixe para ver isto lá. Use Google Maps e os sites das lojas para localizar e planejar onde você fará as compras, antes de embarcar para o Estados Unidos.

Dirigir em Orlando é muito fácil, mas nada lá é realmente perto como as coisas são aqui no Brasil.

E você aproveitará muito mais se souber onde ficam os lugares que você vai. Até para saber quais as melhores opções de distâncias de seus percursos e não ficar indo, vindo e retornando de um mesmo lugar para o outro.

Dica 2 – Outlets

Se é sua primeira vez em Orlando no Estados Unidos, não tenha dúvidas, vá direto aos outlets da cidade, são vários, grandes e as principais marcas que você quer estão lá.

Dica 3 – veja vídeos e blogs

Me lembro da minha primeira ida a Orlando. Minha família e eu assistimos uma tonelada de vídeos e te recomendo que faca isto também, ajuda demais. E dá mais segurança para ir, dá a sensação do que saber fazer e onde se está, quando se desloca pela cidade; que é muito bonita e cheia de obras o tempo todo (lá tem melhorias contínuas de verdade!).

 

Exemplo de informações com preços, etc, no site da Levi’s. Acesse todas as outras marcas que deseja comprar e anote o que puder:

Dica 4 – Saiba quanto custa as coisas nos Estados Unidos

Antes de viajar, sempre pesquise os preços  na internet e saiba quanto custa o que você vai comprar. Principalmente em Orlando, um dos destinos mais caros do mundo. Se você não fizer isto, por mais dinheiro que você leve, poderá não ser o suficiente e ainda chegar muito frustrado do que trouxe e até do que não trouxe.

Entre nos sites das lojas e cadastre seu e-mail para receber as promoções, saber os preços, pegar e os cupons de descontos, que são muito bons. Mais abaixo, tem uma dica legal para você, sobre os cupons.

Cuidado com o que você ouve, o que você quer e quanto  lhe dizem que custará.

 

Preços em qualquer lugar do mundo, vão variar por:

  • marca
  • procura X oferta (moda)
  • época do ano no ponto de venda
  • modelo
  • material
  • volume de compras simultâneas
  • promoção

Para você ter uma ideia, tem calça Levi’s de US$ 8 em lojas de departamentos, de US$ 39 em outlet e de mais US$ 60 em mall.

E tem marcas muito boas por lá, com preços MUITO bons. que não conhecemos por aqui. Por exemplo, um amigo me indicou a marca IZOD de camisas, que eu não conhecia e adorei.

Mas tenha certeza que você está acessando o site dos Estados Unidos, especificamente de Orlando. E veja os preços das lojas de outlets, que são diferentes nas lojas on-line e lojas de mall (shopping nos Estados Unidos).

Preço nos Estados Unidos:

Nos Estados Unidos, os impostos não estão inclusos no preço de etiqueta. Em Orlando você irá pagar mais 6% no caixa.

 

Dica 5 – Saiba seu tamanho, numeração de roupas e sapatos

A numeração do seus calçados é diferente nos Estados Unidos. Veja o número corresponde ao seu aqui no Brasil. Facilitará muito quando for comprar sapatos em Orlando.

Por exemplo, no Brasil eu calço 41, nos Estados Unidos, meu número é 11 ou 10,5.
Isto mesmo!

Lá tem a maravilha da numeração ‘meio’, que é aquele pouquinho que as vezes passa ou falta no nosso calçado, aqui no Brasil. ( I Love It, too).

Na internet há vários sites que você pode ver como faz a conversão equivalente a nossa numeração brasileira. Um deles é o Convert World.

Dica 6  – Reserve tempo para as compras

As lojas são grandes e todas as marcas estão por lá. Você vai querer conhecer todas as lojas. E vá mesmo, é muito bonito, variadas e com muitas opções que no Brasil não encontramos. Só não acredite que você vai conseguir ir a mais de um outlet por dia.

É óbvio que na prática dá para ir, mas você não vai aproveitar bem as lojas e não terá tempo para escolher direito.

A regra é no mínimo um dia para cada outlet. E nada de ir em parque de manhã e a tarde fazer compras. Acredite: não dá para fazer isto!

 

Se você insistir nisto, irá acabar gastando seus suados dólares na correria. Terá que fazer compras as pressas e vai acabar comprando o que ver pela frente. Porque vai cansar e ficar com muita vontade de ir para o hotel descansar as pernas e os pés.

 

 

E deixe ao menos, meio dia para você voltar nos lugares que você já esteve e refazer a ‘repescagem’. É tem isto também e não falha! É quando a gente quer voltar para comprar aquelas coisas que ficamos em dúvida se ia trazer ou não, mas depois no hotel, concluiu-se que deveria trazer.

 

Dica de ouro para marinheiro de primeira viagem:  

Não leve malas nem roupas, leve o mínimo possível para a viagem de ida, somente. Até as malas deixe para comprar tudo lá. E poder trazer sem problemas na alfândega, já que serão roupas que você está usando e portanto, não entram na cota.

As malas você pode comprar na Ross ou até mesmo no Waltmart com preços muito bons.

E a medida que for comprando, já vai arrancando as etiquetas e colocando nas malas. Não se preocupe em lavar as roupas, traga as sujas mesmo e amassadas na mala. Aqui você lava e isto ajuda a provar na alfândega, que são roupas de seu uso e fora da cota.

Atenção:

Leve isto a sério: Vá arrumando as malas todo dia, pois, no último dia é sempre complicado empacotar tudo e saber se vai caber ou não.  Minha esposa e eu cometemos este erro na nossa primeira ida a Orlando. E foi muito apertado e desgostoso arrumar malas em cima da hora.

 

Dica 7 – Saiba quais marcas você vai comprar

E onde estão localizadas nos outlets. Os outlets de Orlando, a primeira vista podem parecer com nossos shoppings, mas não são.

Há outlet que cada loja tem entrada por ruas diferentes dos prédios. E ir de uma loja para a outra com compras nas mãos fica inviável.

Mas no geral vai dar tudo certo! O que muda é você ter mais ou menos trabalho e aproveitar mais nas suas compras.

Dica 8 – Cuidado com as suas crianças

Se seus pequenos estarão com você nas compras, faca um crachá com seu WhatsApp,  contato e o endereço e dados do seu hotel, para caso você perca algum deles.

Oriente os o que fazer se eles acharem que estão perdidos. Coloque um bilhete em Inglês no bolso deles e explique para eles pedirem ajuda entregando o bilhete.

Treine algumas palavras de ajuda em inglês com eles. Lembre-se: prevenir é melhor que remediar.

E não espere que eles vão virar estátuas e ficarem imóveis, enquanto você faz suas compras. Irão correr, pular e mexer em tudo.

Veja o que elas fazem nas lojas. São crianças e são assim mesmo, isto nos alegra.

Mas, é uma ótima oportunidade para levá-los e ensinar como se comportar e entenderem a educação do povo Americano, que nos faz inveja.

Uma excelente dica é você negociar com as crianças, antes da viagem, uma ida a lojas de brinquedos conforme seus comportamentos durante as compras. Separe umas duas horas e também alguns dólares para gastar com eles nestas lojas de brinquedos.

Mas defina um orçamento para cada um de seus filhos. E aproveite esta oportunidade para também ensiná-los a lidar bem com o dinheiro, orçamento e comprar o que realmente trouxer proveito e alegria para eles.

Veja este vídeo que fizemos na Loja de brinquedos Toys no Outlet Premium Orlando. Acredito que seja uma boa sugestão:

 

Dica 9 – Marido não é babá, também gosta de comprar (em Orlando, gosta!)

Dívida a responsabilidade de olhar os filhos, não deixe só para o marido, como se ele não gostasse de comprar. A mesma coisa para os maridos: vá com a esposa e ajude-a para ela poder ir na Victoria Secret e comprar as maquilagens que a deixa cada vez mais linda.

Em família um cuida do outro, inclusive cuida do cartão de crédito, cuida dos dólares e do orçamento das compras, para não estourar e cair em compras por impulsos.

Dica 10 – Planeje  o que vai comprar em Orlando, não compre por impulso

É, faca isto e sua viagem vai ser ótima.

Planeje o que comprar

Faça uma lista do que vai comprar.  Pois, nos Estados Unidos, nossos olhos se perdem com tantas opções. E comprar por impulso será sinônimo certo de frustrações, quando você voltar para o Brasil.

Faça um desenho e leve impresso ou fotografe-os. Use o copiar e colar nos sites das marcas e lojas, coloque em um arquivo e envie-o para seu celular (e-mail, Google Drive, etc). Pois, na hora das compras não dá para ficar lendo letrinhas miúdas em papéis pequenos. E uma imagem você abre e vê no seu celular a qualquer momento e em qualquer lugar.

Veja a seguir um desenho que levei na primeira ida a Orlando, com as roupas que eu queria comprar:

Ah, faça a lista de compras do seu marido, diga que é apenas sugestão, etc. Se não ele vai comprar tudo que ver pela frente. Esta acima, foi minha esposa maravilhosa  que fez para mim; e ajudou demais. Comprei só um pouco a mais. (Um pouquinhozinhozão?)

 

 

Cupons de descontos

Uma ou duas semanas antes de sua ida a Orlando, entre nos sites e imprima o máximo de cupons de descontos que conseguir levar.

Nos Estados Unidos, eles realmente tem muito valor.

Eu imprimi mais de 100 deles, das lojas que eu planejei comprar.

Quando você for pagar no caixa apresente seus cupons, o caixa irá checar quais são aceitos. Os descontos chegam até 50% do valor e vale muito a pena.

No Flórida Mall você compra um livrinho com os cupons por US$ 5 e vale muito a pena.

Confira a fatura e os descontos. Já tivemos problemas em uma loja famosa de Orlando. Com uns US$ 60 de diferença.

Nos Estados Unidos, eles são muito honestos e se orgulham disto. Mas o movimento grande nos outlets podem gerar este problema.

Se acontecer é só falar, que consertam na hora e vão lhe pedir desculpas.

Curta e compartilhe este post para nos ajudar e a outras pessoas também. E tenha uma excelente viagem para Orlando. Você vai amar.

Veja também nosso post sobre Quanto Custa ir para Disney?

Booking.com

Temperatura em Orlando em novembro


Booking.com

Quanto custa ir para Disney Orlando?

Eu sei que sua primeira pergunta é “Quanto irei gastar?“.

Vamos relacionar cada item de nossa experiência real, de um casal com dois filhos: uma menina de 12 anos e um menino de 6 anos. 

É importante que você  considere a idades de cada um dos viajantes, nas  datas da viagem, ou seja, qual a idade no dia da chegada ao Brasil, do retorno de suas férias maravilhosas na Disney. Isto irá influenciar significativamente, seguro, passagem, etc.

Nosso planejamento foi feito um ano antes da data do embarque. Esperamos que lhe ajude a ter uma noção do valor que você irá investir numa viagem maravilhosa como esta. Com certeza e sem sombra de dúvidas, vale a pena!
QUANTO IREI GASTAR?

http://radarmundial.com


Booking.com

Travel Money, Cartão Pré-Pago: Viajando com dinheiro e segurança

Travel money, uma opção “obrigatória”

As vezes conversando com os leitores do nosso site ou com amigos e parentes, muitos deles dizem que levam moeda em espécie (dólar, euro, etc) para o exterior, dentro de uma pochete.

E levam quantias altas, porque não sabem ou têm medo de utilizar a comodidade e tranquilidade de um cartão pré-pago, como Travel Money.

Mas levar muito dinheiro como você na viagem, pode ser muito perigoso; no translado, na estadia e não é muito prático no dia-a-dia.

E já que o mundo inteiro aceita os cartões pré-pagos, que são das grandes bandeiras do mundo, não há motivo para não usar um travel money.

Mas, o medo de usar é natural. Principalmente, pela série de relatos de casos, onde o turista tem o cartão apreendido pelas ATM (caixas eletrônicos) no exterior, ao sacar dinheiro em outro país e fica sem dinheiro na viagem.

E ainda, soma-se a isto: a dificuldade de informação segura, para conseguir o cartão, que é um cartão ao portador. Ou seja, qualquer um que pegá-lo poderá usar, considerando que em muitos estabelecimentos, principalmente, nos Estados Unidos, onde vários estabelecimentos, simplesmente não exigem que seja digitado a senha.

Numa de minhas viagens e morando no interior do Brasil, tentei fazer o cartão no Banco de minha conta corrente, um grande Banco do Brasil. Mas, o gerente do Banco de minha conta, disse que eu teria que ir a capital, para conseguir fazer um cartão travel money. E isto foi bem decepcionante!

Achei um absurdo ter que andar 140 km até a capital, para pegar um cartão. E quase desisti. Pensei também em levar tudo em espécie da moeda, que ia precisar no exterior. Mas, insisti um pouco mais e consegui. E compartilho com vocês nossas dicas:

Saiba que qualquer casa de câmbio de sua cidade, que seja conhecida e de preferência que você sabe que ela já existe na cidade há muitos anos, fornece para você na hora, um cartão travel money.

Basta você fazer um carga (comprar para o cartão) o mínimo de US$ 100 (dólares). Geralmente a casa de câmbio, irá lhe pedir para você fazer um depósito na conta deles ou pagar em moeda mesmo. E será gerado o crédito no cartão para você.

Se tiver com medo de fazer o depósito, já que pode ser sua primeira vez e ainda não tem um relacionamento de confiança com esta casa de câmbio; faça um depósito de US$ 100 (doláres) primeiro, ou leve em dinheiro. Vá lá buscar o cartão e depois, você vai estreitando a confiança com o agente da casa de câmbio e carregando mais créditos (comprando mais da moeda estrangeira que você irá precisar).



Entretanto, ainda assim, será necessário você levar moeda estrangeira em espécie, mas pouco. Apenas o suficiente para os primeiros pagamentos e uma reserva de segurança.

“…revendo este post, algum tempo depois e após algumas outras viagens: A dica mesmo é meio-a-meio…”

E para evitar os problemas de ATM “engolir” seu cartão pré-pago, ao contrário de carregar (colocar) todo seu dinheiro num único cartão, leve mais de um. Por exemplo, se vai um casal, coloque 2 cartões no nome de uma pessoa e 1 cartão no nome da outra pessoa.

Assim, você terá 3 cartões pré-pagos e maior segurança, caso, tenha um acidente, uma perda ou a ATM “engula” seu cartão.

Lembre-se de assinar seu cartão assim que o receber, pois, ele deve ser usado no exterior, apenas como cartão de crédito e não débito. E a medida que você for utilizando, qualquer cartão do mercado, tem um app ou site via web, para você ir controlando o saldo que ainda tem e o que foi usado.

Geralmente neste app ou no site do Cartão Travel Money, você cadastra a senha para ser digitada nos estabelecimentos que a solicitam.

E se precisar, faça uma nova transferência para a casa de câmbio e eles irão recarregar seu cartão novamente.

Então recapitulando e completando as dicas:

  • Não leve ou tenha somente um cartão.
  • Identifique os cartões com uma caneta que não solta a tinta, para você saber por exemplo, qual é qual e quanto tem em cada um. Porque, para consultar o saldo geralmente pede dados do titular para acessar e como pode estar no nome de mais de um, você precisará saber qual é qual. E não bloquear o app por isto.
  • Use seu cartão como crédito e não débito
  • Cadastre uma senha para digitar no momento das compras, onde for solicitada.
  • Evite sacar moeda em ATM, pois, há a taxa de ATM é não é barata.
  • Há o IOF, pergunte na sua casa de Câmbio, mas é taxa oficial do governo.
  • Com o cartão, você pode ir abastecendo com antecedência até a data de sua viagem, aos poucos e ainda estar protegido da variação cambial. Mesmo que a cotação baixe, não vai importar tanto, pois sua viagem será custeada na moeda que você comprou e não em Reais.
  • Você pode recarregar várias moedas diferentes em um mesmo cartão. Isto é muito útil, quando você vai viajar para países diferentes numa única viagem.
  • Não deixe sem cartão muito tempo sem recarga e/ou uso, há uma taxa de inatividade por isto.
  • Tenha o número de sua casa câmbio sempre em mão, em casa de sinistro avise imediatamente para bloqueá-lo. Há sempre um hot fone gratuito para ligar para o Brasil, para estes casos no seu próprio cartão.
  • Será incluído IOF no valor de cada moeda que você comprar, mas a segurança e praticidade de utilização de travel money, vale a pena esta taxa.
  • Consulte as taxas e cotações no cartão travel money que você escolher.
  • O que sobrar no seu cartão na volta, você pode ir na casa de câmbio e vender, ou deixar no cartão para sua próxima viagem. Mas aí, não pode ficar por mais de 6 meses sem movimentação, para não ter taxa de inatividade. O ideal é no último dia você ‘raspar’ o saldos de todos cartões para zerá-los e não pagar mais a taxa de inatividade.
  • Quando comprar em moeda estrangeira, aquela parte que você sempre precisará levar em espécie, mesmo tento o travel money, exija o recibo oficial da Casa de Cambio. Isto protegerá você, se por algum acidente, houver notas falsas com você, da moeda estrangeira que estiver levando.

Se ainda não tiver seguro, compre um cartão na próxima viagem, leve um pouco, teste e veja como será.

Excelente viagem para você, na volta de sua viagem, conte aqui para nós, como foi sua experiência com o Travel Money.

E se você vai para a Disney, veja este nosso post sobre Quanto Custa ir Para Disney

E também as 10 dias para fazer compras em Orlando.

Acreditamos que pode ajudar a tornar sua viagem ainda mais fantástica.

E lembre-se: viajar ainda é seu melhor investimento de vida!


Booking.com


Booking.com